Brasilândia recebe R$ 23 mil pelo Programa de Apoio às Comunidades Indígenas

Desen. Econômico22/03/2017, 12:33:00 Total de Visualizações: 263

Prefeito de Brasilândia esteve em Campo Grande - Divulgação

O prefeito de Brasilândia, Dr. Antonio Thiago, esteve na última segunda-feira (20), com o diretor-presidente da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), em Campo Grande, onde assinou um convênio para liberação de R$ 23.105,50 em recursos do Programa de Apoio às Comunidades Indígenas de Mato Grosso do Sul (Proacin).

A iniciativa visa facilitar o acesso aos insumos agrícolas para famílias indígenas, sendo no caso, em Brasilândia há a comunidade Ofayé Xavante. "O recurso vai beneficiar cerca de 30 famílias. O que a gente puder contribuir com o trabalho dos indígenas, será com o Proacin que vem ao encontro das nossas atividades. Não mediremos esforços, tanto que temos um professor que veio fazer um curso em Campo Grande para poder ensinar, na língua indígena, dentro da aldeia", disse o prefeito.

O recurso é proveniente do Fundo do Investimento Social de Mato Grosso do Sul (FIS) e o programa é executado pela Agraer em parceria com a Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho). Além do prefeito, acompanharam a assinatura a primeira-dama Cibele Maria Thiago e o vice-prefeito Gabriel Baez.

PROGRAMA EM MS

A principal missão do Proacin é facilitar o acesso aos insumos agrícolas a 15 mil famílias indígenas que vivem em 72 aldeias de oito etnias. Além de Brasilândia, mais nove municípios foram beneficiados com recursos de combustível e manutenção de tratores através do Proacin, totalizando cerca de R$ 300 mil de investimentos.

A população indígena do Mato Grosso do Sul é a segunda maior do País. O Estado fica atrás apenas do Amazonas, segundo dados da Sesai ? Secretaria Especial da Saúde Indígena, órgão vinculado ao Ministério da Saúde. "Seguimos a missão dada pelo governador Reinaldo Azambuja, quando assumimos a pasta, que é a de fortalecer a agricultura familiar do Estado. O Proacin faz parte de uma política pública de atendimento à classe rural indígena. Um trabalho que executamos em conjunto com a Sedhast", disse o diretor-presidente da Agraer, Enelvo Felini.

Apenas neste primeiro semestre de 2017 o governo do Estado já investiu R$ 553.020,00 para atender as aldeias sul-mato-grossenses. O montante possibilitou a compra de 1.668 sacas de sementes, sendo 578 são de feijão e 1.090 de milho, além de 69.200 mil litros de óleo diesel para o abastecimento dos tratores que operam nas lavouras.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação