No dia do Autismo, servidores de Brasilândia participam de palestra em Presidente Prudente

Saúde03/04/2018, 10:42:00 Total de Visualizações: 1968

Palestra foi realizada na Universidade Toledo, em Prudente (SP) - Assessoria de Comunicação

No dia 2 de abril, data alusiva para dar maior visibilidade às pessoas com Autismo-TEA (Transtorno do Espectro Autista), servidores da Saúde, Educação e Assistência Social participaram na Toledo Prudente Centro Universitário, em Presidente Prudente, da palestra: “Autismo: do diagnóstico ao tratamento”, apresentada pelo Dr. Francisco Baptista Assumpção Junior. O evento também contou com a presença do prefeito de Brasilândia, Dr. Antonio Thiago.

A iniciativa teve como objetivo de conscientizar todos os participantes sobre Autismo-TEA(Transtorno do Espectro Autista), a fim de possibilitar uma inclusão familiar, social e educacional. Sendo assim, a iniciativa teve como finalidade de informar sobre a importância do atendimento inter e multidisciplinar para as pessoas com Transtorno do Espectro Autista.

Além da palestra, os brasilandenses assistiram a mesa redonda com o tema “Tea o que posso? O que faço?”, também com a presença da psiquiatra Celeste Corral Tacaci Neves Baptista.

Os profissionais da educação recentemente tiveram o assunto sobre o Espectro Autista também abordado na Jornada Pedagógica, em uma palestra apresentada pelo prefeito Dr. Antonio, que na ocasião falou como especialista em psiquiatria.

DIA DO AUSTISMO

O Dia Mundial do Autismo, anualmente em 2 de abril, foi criado pela Organização das Nações Unidas, em 18 de Dezembro de 2007, para a conscientização acerca dessa questão.Segundo uma publicação da Revista Espaço Aberto, da USP, dados do CDC (Center of Deseases Control and Prevention), órgão ligado ao governo dos Estados Unidos, existe hoje um caso de autismo a cada 110 pessoas.

Dessa forma, estima-se que o Brasil, com seus 200 milhões de habitantes, possua cerca de 2 milhões de autistas. São mais de 300 mil ocorrências só no Estado de São Paulo. Contudo, apesar de numerosos, os milhões de brasileiros autistas ainda sofrem para encontrar tratamento adequado.

Fonte: Divulgação/PMB