Saúde visita mais de duas mil casas no combate ao mosquito Aedes Aegypti

Saúde07/02/2017, 11:14:00 Total de Visualizações: 85

Verificação de possíveis criadouros do mosquito da Dengue - Divulgação

 

O mês de janeiro é marcado por um período do ano típico de muitas chuvas. Diante disso, aumenta a preocupação do acúmulo de água em recipientes dando lugar a possíveis criadouros do mosquito da Dengue, Chikungunya e Zika Em Brasilândia, a Secretaria Municipal de Saúde por meio do setor de Controle de Endemias continua no trabalho de visitas em domicílios, para orientações e verificação de focos do mosquito.

De acordo com o responsável pelo Setor, Rogério Cortri, dos 5.296 imóveis existentes em Brasilândia, os agentes de endemias já visitaram 2.997 casas, sendo 485 estavam fechadas e 154 foram retornadas após encontrarem o proprietário da residência.

Além disso, 670 casas receberam tratamento focal, ou seja, quando o agente de endemia não consegue remover o criadouro, ele realiza o depósito de tratamento para combater o foco. “A visita domiciliar é realizada a cada dois meses pelo agente, onde verifica se o dono do imóvel está cuidando bem do local, faz o tratamento se houver necessidade e também orienta da melhor forma de como evitar possíveis focos do mosquito”, explica.

Além dos domicílios, os agentes também realizam a cada 15 dias visitas em pontos estratégicos da cidade  - ação essa preconizada pelo Programa Nacional de Combate à Dengue – sendo o total de 23 locais em Brasilândia. “Geralmente esses pontos se concentram em borracharias, ferros velhos, cemitério ou qualquer local que possa acumular água e trazer a proliferação do mosquito Aedes Aegypti”, explicou.

ÍNDICE DE INFESTAÇÃO

O número apontado pelo Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes Aegypti (LIRAa) de Brasilândia, recolhido entre os dias 02 a 06 de janeiro, teve o registro de 2.9%, sendo que o preconizado pelo Ministério da Saúde é de até 1%. O levantamento é feito a cada dois meses e serve de referência nos trabalhos realizados pela equipe de Endemias e Vigilância em Saúde.

O responsável pelo Setor disse que o número está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde e agora o momento é de atenção. “A população deve continuar em alerta evitando a proliferação do mosquito, uma vez que estamos exatamente no período do aumento das chuvas em nossa cidade”, reforçou.

Além disso, Rogério reforçou novamente que os cuidados de evitar água parada em recipientes é melhor forma de evitar a proliferação do mosquito Aedes Agypti que é transmissor do Zika Vírus, Chikungunya ou Dengue.

CUIDADOS

- Mantenha o lixo em sacolas fechadas e lixeiras tampadas.

- Armazene as garrafas vazias com a boca para baixo.

- Tampe todos os barris e tonéis de água.

- Coloque areia nos pratinhos dos vasos das plantas.

- Lacre a caixa d’água.

- Limpe a bandeja de ar-condicionado.

- Remova a sujeira das calhas.

- Guarde pneus e garrafas de vidros em locais cobertos.

- Lave o recipiente e troque a água dos seus animais diariamente.

- Tampe os ralos.

- Retire a água do reservatório do degelo da geladeira

Fonte: Assessoria de Comunicação