Unidades escolares de Brasilândia desenvolvem atividades no dia do folclore

Educação25/08/2017, 14:56:00 Total de Visualizações: 164

Crianças aprendem mais sobre o folclore brasileiro - Assessoria de Comunicação

 

Com o objetivo de fortalecer e resgatar a memória cultural, crianças da rede municipal de ensino realizam diversas atividades ao longo da semana em relação ao Dia do Folclore, celebrado em todo o país no dia 22 de agosto.

As estórias sobre personagens que compõem o folclore brasileiro são lembradas pelos estudantes mais velhos e repassadas para os alunos que começaram a estudar em alguma unidade educacional.

No Centro Educacional Infantil Henrique Mendonça Quintino, por exemplo, os professores junto com as auxiliares começaram as atividades na semana anterior, mostrando aos baixinhos as estórias que estão registradas em nossa cultura.

Já no outro CEI, Giselly Hippler, as crianças desenvolveram uma atividade nesta sexta-feira (25), às 8h (MS) e às 13h (MS), na própria sede da escolinha. Ao longo da semana, a equipe está se organizado para expor as atividades programadas para os alunos. Enquanto a unidada CEI Carmelita Barbosa Caetano também realizou as atividades.

Já na Escola Municipal Paulo Simões Braga, o projeto desenvolvido foi o resgate das brincadeiras folclóricas que foram lembradas pelos alunos e professores.  Além disso, um mural foi preparado para mostrar os principais elementos que compõem o nosso folclore brasileiro.

A Escola Municipal Raimundo Pedro de Souza soltou a imaginação e utilizou as portas de cada sala de aula para registrar cada personagem folclórico. Saci-pererê, a estória do boto e outros foram destaque na unidade.

Na Escola Municipal Arthur Hoffig, os professores desenvolveram junto com os alunos um projeto com as lendas e todas as portas da escola foram decoradas. A Escola Municipal Antonio Henrique Filho também realizou as atividades.

As principais lendas e ritos do folclore brasileiro, sendo que os mais famosos são: o do Saci-Pererê, do Bumba meu boi, do Lobisomem, da Mula sem cabeça e o da sereia da Amazônia Iara, que remete às sereias da mitologia grega, narradas por Homero, na Odisseia.

Para o prefeito de Brasilândia, é importante a valorização da nossa cultura nas escolas. “É uma maneira de desde cedo sabermos as principais identificações culturais que o nosso país tem. Uma tradição que vai passando de geração em geração”, destacou.

 

Fonte: Divulgação/PMB