Estudantes recebem esclarecimentos sobre a importância da vacina contra HPV e Meningite

Saúde16/08/2017, 14:37:00 Total de Visualizações: 127

As orientações foram nas salas de aula - Assessoria de Comunicação

 

O setor de Imunização e de Infecção Sexualmente Transmissíveis (IST/AIDS) da Prefeitura de Brasilândia está realizando, desde o início do mês, o trabalho de conscientização nas escolas públicas do município, sobre a importância de estar em dia com as vacinações contra HPV e Meningite C.

De acordo com a enfermeira e coordenadora do Setor de Imunização, Roberta Assis, as palestras foram nas unidades escolares Paulo Simões Braga (07/08), Arthur Hoffig (08/08), Adilson Alves da Silva (11/08) e Antonio Henrique Filho (14/08). Além disso, houve também a participação da assistente social e coordenadora do Setor de IST/Aids, Carmem Galiani.

Após a conscientização, os profissionais de saúde realizaram as vacinações nos estudantes. Foram imunizados onze alunos na Arthur Hoffig, 11 estudantes na Paulo Simões, 80 alunos na Antonio Henrique Filho e 102 pessoas na Adilson Alves da Silva, totalizando 204 crianças. A programação ainda visa a imunização nas escolas municipais rurais Raimundo Pedro de Souza e Asssentamento Mutum.

O HPV é um vírus que ataca as células da pele e favorece a formação de tumores, a maioria deles pequenos e benignos, tais como as verrugas. Porém, quando área infectada é a mucosa do colo do útero, da vagina, do pênis ou do ânus, pode induzir a formação de tumores malignos, gerando, por exemplo, o câncer do colo do útero e o câncer anal. A infecção pelo HPV é a doença sexualmente transmissível mais comum em todo o mundo.

A Meningite é uma inflamação das meninges, membranas que envolvem o sistema nervoso central no cérebro. É uma doença séria que pode ser fatal. A causa mais comum é uma infecção por bactérias, fungos ou vírus (mais freqüentemente). Entre outros, o sintoma que mais chama a atenção para o problema é a rigidez na nuca.

A meningite pode provocar lesões mentais, motoras e auditivas, em que o paciente sai bem do hospital, mas pode apresentar perdas de audição ou mesmo a surdez nos próximos seis meses.

O prefeito Dr. Antonio alerta sobre os riscos da doença, caso a pessoa não seja imunizada. “Esse trabalho de conscientização é muito importante, pois é uma maneira de esclarecer, principalmente para as crianças e adolescentes que esta vacina serve para protegê-los da transmissão de alguma dessas doenças que atinge cada vez mais as pessoas”, destacou.

Fonte: Divulgação/PMB